Portugal

Le MMDLP (Movimento luta para preservar língua portuguesa) est une organisation qui s’est constituée à Santos (Brésil) en 2001 pour défendre et préserver la langue portugaise. La déclaration précise qu’il ne s’agit pas seulement d’une question sémantique, linguistique ou grammaticale, mais des valeurs et de la culture que la langue étrangère véhicule, envahissant le marché du travail et disqualifiant une grande partie du monde professionnel. Rosilma Roldan, la présidente du MMDLP, entend promouvoir différentes actions culturelles dans le but de faire vivre la culture locale dans l’idiome portugais.

Pour ceux qui peuvent lire le portugais et pour les amoureux des langues, qui pourront y trouver du plaisir, voici des extraits du site du MMDLP :

 

Muita gente ainda não sabe, mas há dois anos nasceu em Santos o Movimento Nacional em Defesa da Língua Portuguesa (MMDLP), hoje uma organização não-governamental que luta para preservar o nosso idioma e conter o estrangeirismo que funciona como forte instrumento no avanço da exclusão social de grande parte dos brasileiros.

 

Cultura dominante

Idioma dominante nos tempos atuais, o inglês está por toda parte – da   placa do restaurante ao anúncio de liquidação. Quem não sabe pronunciar,   muitas vezes é ridicularizado e, não raro, leva a fama de ignorante.   "Nossa luta não é uma questão meramente semântica, lingüística ou   gramaticista. Através da língua passa toda a cultura deles, incorporam   valores. O estrangeirismo invade nosso mercado de trabalho, desqualifica o   profissional. Em determinadas atividades, se o cidadão usa expressões   estrangeiras é do ramo, do contrário é excluído", diz a professora de   português e advogada Rosilma Roldan, presidente do MMDLP. Segundo ela, o   conhecimento de nosso idioma vai muito além de falar e escrever corretamente.   "Usamos a língua para pensar, escrever, nos comunicar em relação a   qualquer assunto. O verdadeiro papel da educação é de formar o cidadão,   formar um povo que questiona, que reflete, que cobra, e por isso mesmo mais   trabalhoso. Tiraram do currículo escolar as disciplinas de filosofia, lógica,   sociologia, que ensinavam a raciocinar. Hoje a escola ensina apenas a ler e   escrever, e nem isso está sendo cumprido. Ensinar a ler, formar pensamento,   dominar línguas, se comunicar, isso é formar um cidadão e não mero   repetidor".
  O MMDLP realizou no ano passado e pretende repetir neste o projeto   "Presenteando com Letras", uma campanha de doação de livros que, em   2001, contemplou a comunidade de Caroara, na área continental de Santos. O   movimento também promoveu o lançamento do CD 'Cavalo de Praia', reunindo seis   músicos da cidade. "A defesa da língua começa pelo apoio a nossa   cultura, nossa música, à moda nacional", exemplifica Rosilma. Além de   reuniões e palestras, os integrantes da Ong realizam debates virtuais pelo   site www.novomilenio.inf.com.br/idioma, envolvendo pessoas de outros estados   e países lusófagos.